Orange-Line

GEC #5 Igualdade de Género Onde Começar?

Posted in ,

Autor: Emilia Azevedo – Portugal FMA GEC Representative

A igualdade é, em Portugal, um direito consagrado na Constituição Portuguesa, no entanto, e apesar de nos últimos anos termos vindo a assistir a uma evolução positiva, ainda estamos longe do razoável em termos de igualdade de género.

A remuneração das mulheres é em média 16,7% abaixo da dos homens, contudo, à medida que aumenta o nível de qualificação, maior é o diferencial salarial entre homens e mulheres, sendo particularmente evidente entre os quadros superiores. Neste nível de qualificação, o gap é de 26,4% na remuneração base.

Na realidade no mercado de trabalho assiste‑se à manutenção de um conservadorismo que se revela, entre outros aspetos, pela persistência de uma cultura organizacional que estrutura comportamentos e gera expectativas que reproduzem e reforçam as normas desiguais de género. Por exemplo, insistindo na ideia de que as mulheres são, em primeira instância, cuidadoras naturais e só depois trabalhadoras e profissionais, colocando‑as numa situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Isto é: as relações sociais que se estabelecem no mercado de trabalho contribuem para estruturar, produzir e reproduzir as expectativas normativas e estereótipos que são culturalmente atribuídos a mulheres e homens.

Dados recentes dizem que os homens afetam, ao trabalho remunerado, em média, mais 27 minutos por dia do que as mulheres, mas são as mulheres que continuam a dedicar mais tempo às tarefas domésticas e de cuidado. Em média, as mulheres trabalham, em casa, mais 1 hora e 45 minutos por dia do que os homens. No total do trabalho pago e não pago, as mulheres continuam a trabalhar mais 1 hora e 13 minutos por dia do que os homens.

A construção da identidade de género inicia‑se em idades precoces, sendo depois alimentada, realimentada ou reconfigurada ao longo da vida.

O “modelo familiar”, tradicional assenta numa construção social de papéis de género em função do sexo, conduzindo a uma conceção do masculino e do feminino diferenciada e hierarquizada em termos de importância, segundo a qual se atribuíam ao homem papéis e responsabilidades no domínio público, de sustento, e de orientação para resultados, de competitividade e força, e à mulher papéis no domínio privado, de cuidado da casa e da família, com base em características mais emocionais e relacionais.

A construção de uma sociedade igualitária tem de começar pelo princípio, em casa, com os nossos filhos, desde o primeiro dia.

ENGLISH TRANSLATION BELOW:

Gender Equality Where to Start?

Author: Emilia Azevedo – Portugal FMA GEC Representative

Equality is, in Portugal, a right enshrined in the Portuguese Constitution, however, and although in recent years we have seen a positive evolution, we are still far from reasonable in terms of gender equality.

The remuneration of women is, on average, 16.7% below that of men, however, as the level of qualification increases, the greater the salary differential between men and women, being particularly evident among senior management. At this level of qualification, the gap is 26.4% in base remuneration.

In reality, in the labor market, there is a maintenance of conservatism that is revealed, among other aspects, by the persistence of an organizational culture that structures behaviors and generates expectations that reproduce and reinforce unequal gender norms. For example, insisting on the idea that women are, in the first instance, natural caregivers and only afterwards workers and professionals, placing them in a situation of vulnerability in the labor market. That is, the social relations that are established in the labor market contribute to structure, produce and reproduce the normative expectations and stereotypes that are culturally attributed to women and men.

Recent data say that men spend an average of 27 minutes a day more on paid work than women, but it is women who continue to devote more time to household and care tasks. On average, women work 1 hour and 45 minutes a day at home more than men. In total paid and unpaid work, women continue to work 1 hour and 13 minutes a day more than men.

The construction of gender identity begins at an early age, and is then fed, fed or reconfigured throughout life.

The traditional “family model” is based on a social construction of gender roles based on sex, leading to a differentiated and hierarchical conception of male and female in terms of importance, according to which roles and responsibilities in the public domain are attributed to men , support, and results orientation, competitiveness and strength, and women roles in the private domain, care for the home and family, based on more emotional and relational characteristics.

Building an egalitarian society has to start at the beginning, at home, with our children, from day one.